Produção científica nacional sobre práticas interativas não farmacológicas no trabalho de parto: uma revisão integrativa da literatura [National scientific writing about non-pharmacological interactive practices in labor:an integrative literature review]

Cláudia de Souza Agenor, Débora Cecília Chaves de Oliveira, Fernanda Celina de Carvalho

Resumo


RESUMO - Objetivo: identificar como as práticas integrativas têm sido discutidas na produção científica nacional. Metodologia: trata-se de uma revisão integrativa da literatura desenvolvida por meio de busca na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Foram analisados 14 artigos publicados, no Brasil, no período de 2007 a 2011. Resultados: as pesquisas abordaram as seguintes práticas: exercícios respiratórios; movimentos pélvicos; banho de aspersão e imersão; mudança de posição; deambulação; bola; massagem; técnicas de relaxamento; aromoterapia e musicoterapia. A região Sudeste apresentou maior publicação, acerca dessa temática, e com maior proporção em 2011. Verificou-se uma maior quantidade de publicações da área de enfermagem, nos estudos analisados. Conclusão: Foi evidenciado que as práticas integrativas não farmacológicas, em sua maioria, garantem um resultado significativo no alívio da dor, no trabalho de parto.

ABSTRACT - Objective: to identify how integrative practices has been discussed in Brazilian scientific literature. Methodology: This is an integrative literature review based on data from Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). It had been analyzed 14 published articles in Brazil, in the period from 2007 to 2011. Results: The studies covered the following practices: breathing exercises; pelvic movements; use of warmed water by showers or immersion; change of position; ambulation; fisioball; massage; relaxation techniques; aromatherapy and music therapy. The Brazilian Southeast region showed higher number of publication on this theme and with a higher proportion in 2011. Observed a greater number of publications in the field of nursing was responsible for a higher number of publications in the studies analyzed. Conclusion: It was verified that mostly non-pharmacological integrative practices guarantee a significant pain relief in labor.



Palavras-chave


Saúde da mulher; terapias complementares; dor do parto; trabalho de parto; enfermagem obstétrica; cuidados de enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


Silva TF, Costa GAB, Pereira ALF. Cuidados de enfermagem obstétrica no parto normal. Cogitare Enferm. 2011; 16(1):82-7.

Gallo RBS, et.al. Recursos não-farmacológicos no trabalho de parto: protocolo assistencial. Femina. Jan 2011.v.39.n 1.

Borges MR, Madeira LM; Azevedo VMGO. As práticas integrativas e complementares na atenção à saúde da mulher: uma estratégia de humanização da assistência no Hospital Sofia Feldman. Rev. Min. Enferm. 2011; 15(1):105-13.

Brasil. Portaria nº 971, de 3 de maio de 2006. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/PNPIC.pdf.

Brasil. Decreto nº 5813 de 22 de junho de 2006, aprova a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e dá outras providências

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão, CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm. 2008; 17(4):758-64.

Pompeo DA, Rossi LA, Galvão CM. Revisão integrativa: etapa inicial do processo de validação de diagnóstico de enfermagem. Acta paul. enferm. 2009; 22(4):434-8.

Pereira AL, Bachion MM. Atualidades em revisão sistemática de literatura, critérios de força e grau de recomendação de evidência. Revista Gaúcha de Enfermagem, 2006; 27(4):491-8.

COFEN. Resolução do COFEN-197/1997. Estabelece e reconhece as Terapias Alternativas como especialidade e/ou qualificação do profissional de Enfermagem. Disponível em: http://novo.portalcofen.gov.br/resoluocofen-

_4253.html.

Davim RMB, Torres GV. Avaliação do uso de estratégias não farmacológicas no alívio da dor de parturientes. Rev.Rene.Fortaleza, 2008; 9(2):64-72.

Davim RMB, Torres GV, Dantas JC. Efetividade de estratégias não farmacológicas no alívio da dor de parturientes no trabalho de parto. Rev. esc. enferm. USP, 2009; 43(2):438-45.

Silva LM, Oliveira SJV, Silva FMB, Alvarenga MB. Uso da bola suíça no trabalho de parto. Acta paul. enferm. 2011; 24(5):656-62.

Ricci SS et al. Enfermagem Materno-Neonatal e Saúde da Mulher. Rio de Janeiro (RJ): Ed Guanabara Koogan, 2008, p. 211 – 212; 256 - 257; 266.

Sescato AC, Souza SRRK; Wall ML. Cuidados não-farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: orientações da equipe de enfermagem. Cogitare Enferm, 2008;13(4):585-90.

Tabarro CS, et al. Efeito da música no trabalho de parto e no recémnascido. Rev.EscEnferm USP. 2010; 44(2)445-52.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.