Implementação de práticas humanizadas no alívio da dor durante o trabalho de parto [Implementation of humanized practice to pain relieve during labor] [La implementación de prácticas humanizadas para aliviar el dolor durante el parto]

Arianny Calixto Formiga, Ana Dorcas de Melo Inagaki, Caíque Jordan Nunes Ribeiro

Resumo


Introdução: os métodos não farmacológicos para o alívio da dor representam uma importante forma de humanizar a assistência de enfermagem durante o parto. Objetivo: identificar o conhecimento e as atitudes dos profissionais da equipe de enfermagem sobre práticas humanizadas de alívio da dor no trabalho de parto. Método: estudo descritivo, comparativo e quantitativo resultante de uma intervenção educativa, desenvolvida com profissionais de enfermagem de um hospital regional do interior de Sergipe. O instrumento de coleta consistiu em um questionário autoaplicável (pré e pós-teste) com dados sociodemográficos e relacionados ao conhecimento e atitudes dos profissionais sobre o manejo da dor no trabalho de parto. Foi utilizada estatística descritiva simples para análise dos dados. Resultados: a amostra foi composta por 30 profissionais, do sexo feminino, predominantemente técnicas de enfermagem, com ensino superior completo, 46,0% delas não detinham conhecimentos sobre o assunto antes da intervenção educativa e, as que conheciam, obtiveram informações por meios não científicos. Após a ação educativa, as participantes do estudo passaram a acreditar na eficácia das práticas humanizadas e adotá-los em sua prática. Conclusão: houve adesão dos participantes na implementação de práticas humanizadas de alívio da dor do parto e melhores resultados relacionados ao conhecimento sobre o tema.

ABSTRACT - Introduction: non-pharmacological methods for pain relief are an important way to humanize nursing care during labor. Objective: to identify the knowledge and attitudes of nursing staff on humanized practices for pain relief during labor. Method: it is a descriptive, comparative and quantitative study resulting from an educational intervention developed with nursing professionals from a regional hospital of Sergipe. Data collection instrument consisted of a self-administered questionnaire (pre- and post-test) with socio-demographic data and issues related professionals’ attitudes and knowledge regarding pain management in labor. Simple descriptive statistics were used for data analysis. Results: the sample consisted of 30 female professionals, predominantly nursing technicians, with complete higher education, 46.0% of them had no knowledge about the subject before the educational intervention, and for those who knew it, the information were obtained by unscientific way. After the educational action, participants came to believe in humanized practices effectiveness and to adopt it in their practice. Conclusion: there was adherence of the participants in the implementation of humanized practices for pain relief during labor and better results related to knowledge on the subject.

RESUMEN - Introducción: los métodos no farmacológicos de alivio del dolor representan una importante forma de humanizar los cuidados de enfermería durante el trabajo de parto. Objetivo: identificar los conocimientos y actitudes de los profesionales de enfermería sobre las prácticas humanizadas para alivio del dolor durante el parto. Método: resultado descriptivo, comparativo y cuantitativo de una intervención educativa, desarrollada con los profesionales de enfermería de un hospital regional en el interior de Sergipe. El instrumento de recolección de datos fué un cuestionario autoadministrado (pre-test y post-test) con datos sociodemográficos, relacionados con el conocimiento y las actitudes de los profesionales en relación con el manejo del dolor durante el parto. Se utilizaron estadísticas descriptivas simples para analizar los datos. Resultados: participaron 30 profesionales de enfermería del sexo femenino, predominantemente técnicas de enfermería, con la educación superior completa. El 46,0% de ellas no poseían conocimientos sobre las prácticas humanizadas antes de la intervención educativa. Entre aquellas que las conocían, habían conocido de una manera poco fiable. Después de la actividad educativa, las participantes llegaron a creer en la eficacia de las prácticas humanizadas y adoptar en su práctica. Conclusión: se observó la adhésion de las participantes en la aplicación de métodos de alivio del dolor de parto y mejores resultados relacionados con el conocimiento sobre el tema.


Palavras-chave


Dor do parto; Educação continuada; Enfermagem obstétrica; Manejo da dor; Parto normal.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil MS. Secretaria de Atenção à Saúde. Manual prático para implementação da Rede Cegonha. Brasília: 2011a.

Rattner D. Humanização na atenção a nascimentos e partos: ponderações sobre políticas públicas. Interface (Botucatu), 2009;13(Suppl 1):759-68.

Brasil MS. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Saúde Brasil 2009: uma análise da situação de saúde e da agenda nacional e internacional de prioridades em saúde. Brasília: 2010.

Brasil MS. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Portaria nº 1.459, 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde, a Rede Cegonha. Diário Oficial da União, Brasília, 2011b.

IASP: Pain Terms, A Current List with Definitions and Notes on Usage. In: Merskey H, Bogduk N, editor(s). Classification of Chronic Pain. Seattle: IASP Press; 2012. p. 209–214.

Mafetoni RR, Shimo AKK. Métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: revisão integrativa. Rev Min Enferm. 2014;18(2):505-20.

OMS, Saúde Materna e Neonatal. Unidade de Maternidade Segura Saúde Reprodutiva e da Família. Assistência ao Parto Normal: Um Guia Prático. Genebra - Suiça. Brasília (DF): MS; 1996.

Leal MC, Pereira APE, Domingues RMSM, Filha MMT, Dias MAB, Nakamura-Pereira M et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cad Saúde Pública. 2014;30(Suppl 1):S17-S32

Ricaldoni CAC, Sena RR. Educação permanente: uma ferramenta para pensar e agir no trabalho de enfermagem. Rev Latino-Am Enferm. 2006;14(6):837-42.

Brasil MS. Secretaria de Atenção à Saúde. Parto, Aborto e Puerpério: assistência humanizada a mulher. Brasília (DF): 2003.

Diniz CSG. Humanização da assistência ao parto no Brasil: os muitos sentidos de um movimento. Ciênc Saúde Coletiva.2005;10(3):627-637.

Gayeski ME, Bruggemann OM. Métodos não-farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: uma revisão sistemática. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2010;19(4):774-82.

MCcallum C, Reis AP. Re-significando a dor e superando a solidão, experiências do parto entre adolescente de classes populares atendidas em uma maternidade pública em Salvador, Brasil. Cad Saúde Pública. 2006;22(7);1484-91.

Largura M. A assistência ao parto no Brasil: uma análise crítica. São Paulo: Gente; 1998.

Oliveira LL, Bonilha ALL, Telles JM. Indicações e repercussões do uso da bola obstétrica para mulheres e enfermeiras. Cienc Cuid Saude.2012; Vol.11(3):573-580.

Barcellos RA. Cuidado de enfermagem e suas representações no processo de formação [dissertação de mestrado]. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul; 2015.

Spíndola T, Martins ERC, Francisco MTR. Enfermagem como opção: perfil de graduandos de duas instituições de ensino. Rev Bras Enferm. 2008;61(2):164-9.

Busanello J, Kerber NPC, Fernandes GFM, Zacarias CC, Cappellaro J, Silva ME. Humanização do parto e a formação dos profissionais de saúde. Cienc Cuid Saude. 2011;10(1):169-75.

Ribeiro COM, Costa IN, Ribeiro CJN, Nunes MS, Santos B, DeSantana JM. Conhecimento dos profissionais de saúde sobre dor e analgesia. Rev dor. 2015;16(3):204-9.

Silva TF, Costa GAB, Pereira ALF. Cuidados de enfermagem obstétrica no parto normal. Cogitare Enferm. 2011;16(1):82-7.

Silva LM, Oliveira SMJV, Silva FMB, Alvarenga MB. Uso da bola suíça no trabalho de parto. Acta Paul Enferm. 2011;24(5):656-62.

Silva DA, Ramos MG, Jordão VDV, Silva RAR, Carvalho JBL, Costa MMN. Uso de métodos não farmacológicos para o alívio da dor durante o trabalho de parto normal: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE. 2013;7(esp):4161-70.

Gallo RBS, Santana LS, Marcolin AC, Ferreira CHJ, Duarte G, Quintana SM. Recursos não-farmacológicos no trabalho de parto: protocolo assistencial. FEMINA. 2011;39(1):41-8.

Dodou HD, Rodrigues DP, Guerreiro EM, Guedes MVC, Lago PN, Mesquita NS et al. A contribuição do acompanhante para a humanização do parto e nascimento: percepções de puérperas. Esc Anna Nery. 2014;18(2):262-9.

Rocha AM, Monteiro CSCBC, Ferreira M, Duarte J. Cuidados no alívio da dor: perspectiva da parturiente. Millenium. 2016;38:299-309.

Oliveira LMN, Cruz AGC et al. A Utilização da bola suíça na promoção do parto humanizado. Rbracisa. 2014;18(2):175-80.

Barbieri M, Henrique AJ, Chors FM, Maia NDL, Gabrielloni MC. Banho quente de aspersão, exercícios perineais com bola suíça e dor no trabalho de parto. Acta Paul Enferm. 2013;26(5):478-84.

Santana LS et al. Efeito do banho de chuveiro no alívio da dor em parturientes na fase ativa do trabalho de parto. Rev dor. 2013;14(2):111-3.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.